sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Exemplo a seguir

O cardeal Martino revelou que teve um encontro com o Grão-duque do Luxemburgo para informar-se de suas preocupações sobre uma nova lei que permite a eutanásia. O purpurado confirmou que «esta proposta de lei vai verdadeiramente contra a vida»; por isso, «o Grão-duque crê em consciência que não deve firmar uma lei contra a vida».
«Durante o encontro – concluiu Martino – pude comprovar sua fé católica».

Entretanto a Câmara dos Deputados de Luxemburgo vai propor uma modificação da Constituição para impedir que o Grão-duque bloqueie textos legislativos com sua negativa a assiná-los. O primeiro-ministro do país, Jean-Claude Juncker, propõe a reforma do artigo 34 da Carta Magna, onde se indica que o soberano deve «sancionar e promulgar» os textos legislativos. Se a reforma passar, o grão-duque poderá apenas promulgar leis.

É caso para perguntar: "Será que os políticos ouviram o povo do seu país antes de fazer tais leis contra a vida?!"

O Grão-duque Henrique de Luxemburgo adopta a mesma atitude tomada em 1990 por seu tio, o rei Balduíno da Bélgica, que se negou a firmar um texto aprovado pelo legislativo sobre a legalização do aborto.

1 comentário:

Lucia Chaves disse...

A defesa da vida humana deve estar acima dos nossos egoísmos.
Bom Ano!