terça-feira, 17 de março de 2009

Pio XII e os judeus

O Museu do Holocausto, em Jerusalém, acolheu durante dois dias um seminário inter­nacional sobre o Papa Pio XII e o massacre dos judeus du­rante a Segunda Guerra Mun­dial, levado a cabo pelo regi­me nazi.
Historiado­res e outros estudiosos partilharam o resultado das pró­prias pesquisas e procuraram res­ponder a várias questões so­bre o papel que o Papa da Se­gunda Guerra Mundial teve no Holocausto. Este encontro foi promovi­do pelo Instituto Internacional "Yad Vashem” e pelo Instituto Salesiano Internacional.
Documentos históricos de arquivo e testemunhos orais e escritos de protagonistas sustentam que Pio XII tra­balhou concretamente para a salvação dos judeus. Entre os estudiosos que apoiam esta tese, distinguem-se al­guns judeus.
O último documento foi re­centemente divulgado pelo historiador jesuíta PeterGumpel. Trata-se de uma carta ex­traída do Memorial das Reli­giosas Agostinianas, em Roma, onde consta a frase «o San­to Padre quer salvar seus Fi­lhos, inclusive os judeus, e ordena que os Mosteiros dêem hospitalidade a estes perse­guidos».
O rabino judeu americano Da­vid Dalin, docente de histó­ria e de ciências políticas, sustenta que Pio XII merece o título de "Justo entre as Nações", reconhecimen­to que o "Yad Vashem" atri­bui a quem, entre os não-judeus, defenderam e pro­tegeram os judeus durante o Holocausto.

6 comentários:

Em contra-corrente disse...

Há muitas histórias mal contadas a respeito da igreja. A de Pio XII é só mais uma.

Joaquim Costa disse...

Ainda se há-de ver o Papa como herói salvador dos judeus.
É que a verdade vem sempre ao de cima.

Caros Amigos disse...

Menti, menti, que da mentira alguma coisa fica.
Este Papa tem sido vítima das piores mentiras.
Mas a verdade é como o azeite - diz o povo - vem sempre ao de cima.

Olivia Gomes disse...

Há quem lhe chame o papa nazi, mas que Deus lhes perdoe.
Ele foi um grande humanista e muito bom Papa.

Anónimo disse...

Partilho das 4 opiniões anteriores. Tenho tido acesso a vários estudos históricos sbre este assunto, e a afirmações de Judeus altamente classificados e todos eles defendem Pio XII. Dir-se-há que se ele falasse, se denunciasse, se tivesse actitudes públicas mais afrontosas, seria melhor. Seria? Verifique-se o que sucedeu na Holanda quando os Bispos publicaram uma nota relativa ao tratamento que era aplicado aos Judeus. Em meia dúzia de dias todas os católicos, religiosos de clausura incluidos, foram para as câmaras de gás, como represália. Edith Stein é um exemplo.
FF.

Anónimo disse...

o papa atual foi da Hitlerjugend.... e venera o papa de Hitler... Pio XII...

ah....
Pio XII tem passado negro....
quando era cardeal Pacelli... ele intruiu o partido católico de Centro (Zentrum) a votar a favor de 1 lei de exceção em 1933 que dava imensos poderes a Hitler... em troca... o III Reich assinou concordata com o vaticano. Pacelli participou da assinatura da concordata.
Pacelli e o Vaticano não tomaram nenhuma atitude contra os prelados alemaes e austriacos que apoiavam Hitler. Nem se importaram com a presença de capelães na SS e Wehrmacht.
Pio XII nao condenou o padre Jozef Tiso, ditador eslovaco (pró-nazista).Tiso massacrou judeusmciganos e opositores.
Tampouco condenou o regime Ustasha (Croácia) liderado por Ante Pavelic. o regime era nazi-catolico e exterminou opositores, ortodoxos servios, ciganos e judeus... a crueldade Ustasha escandalizava até mesmo os nazistas! Padres participavam pessoalmente das atrocidades... promoviam conversoes forçadas,torturas e assassinatos.
Pio XII foi alertado ... mas se omitiu criminosamente.
Depois da guerra... varios nazis e ustashas(Mengele,Eichmann,Pavelic etc.) fugiram da Europa com ajuda do Vaticano,CIA e Cruz Vermelha (Ratlines). Os prelados Hudal*,Draganovic**,Montini***,Tisserant,Caggiano e Siri estavam envolvidos com as Ratlines.

*austriaco, membro do NSDAP
**croata e antigo oficial de Pavelic.
***ele se tornou o papa Paulo VI