quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Euromilhões recria história do sapateiro


Dois namorados de Barcelos são a prova de que o muito dinheiro pode desunir as pessoas e infernizar-lhes a vida. Em causa estão 15 milhões de euros que agora um e outro reclamam como propriedade sua e o caso até já está em tribunal.

A verba, que daria para viver faustosamente, está bloqueada numa conta comum, por ordem do Tribunal de Lisboa, depois de os namorados, ambos na casa dos 22 anos, terem terminado a relação, movidos por desentendimentos quanto à propriedade legítima do dinheiro.
Há dias compareceram no tribunal mas não chegaram a acordo. Ficou marcada uma nova reunião dos ex-namorados para 31 de Março, na tentativa de encontrar um entendimento.
O Euromilhões saiu-lhes no dia 19 de Janeiro de 2007, através de um boletim preenchido no Café Brandão, em Alvelos, mesmo a meio do percurso que separa as casas dele, em Courel, e dela, em Remelhe.
Mas quem registou o boletim? Testemunhas da rapariga dizem que foi ela, testemunhas do rapaz dizem que foi ele. O certo é que os dois costumavam jogar todas as semanas.

Este caso recria a conhecida história do sapateiro pobre. Tudo corria bem naquela casa antes de um vizinho rico se lembrar de ajudar aquela família de muitos filhos.
Recebido o dinheiro, toda a noite se ralhou naquela casa. Os pais com os filhos que não se calavam, enquanto os pais discutiam o que fazer com aquela pequena fortuna. Arranjar a casa, comprar campos ou adquirir roupas novas para todos? O marido achava que o dinheiro devia ser posto a render num banco ou pelo menos comprar terras. Gastá-lo era continuar a ter um futuro negro. A esposa era de opinião de arranjar a casa e de comprar roupas novas para todos.

Discutiram, zangaram-se, bateram nos filhos e no outro dia toda a gente andava triste naquela casa. Até que tomam a resolução de entregar o dinheiro ao ricaço. E de novo a viola e as canções alegraram aquela família.

8 comentários:

Em contra-corrente disse...

É assim: O muito dinheiro não ajuda, só estraga. E em muitos aspectos.

Joaquim Costa disse...

Pensava que a história do sapateiro tinha sido inventada, mas ela tem tudo para ser verdadeira como se comprova pela sua actualização aqui e agora.

Lucia Gomes disse...

Quem se deixa dominar pelo dinheiro é seu escravo.
O sapateiro decidiu entregar o que lhe tinha sido oferecido, estes namorados amam mais o dinheiro que o amor.
Parvos!!!

Fa menor disse...

Costuma-se dizer que "em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão"... neste caso é pão para quem não tem dentes!
Quando o egoísmo e a cobiça se sobrepõem é no que dá!

Dennys Reys disse...

A honstidade sempre estará na moda.

Maria João disse...

Como diz a Palavra de Deus: ou temos o deus dinheiro ou Deus Pai...



Unidos em oração

Maria João disse...

Como diz a Palavra de Deus: ou temos o deus dinheiro ou Deus Pai...



Unidos em oração

Anónimo disse...

Esta história é uma lição!...
mas a sua compreensão ultrapassa-me, como é possível!!!???...
FF